Membro fundador do Conselho Europeu dos Sindicatos de Polícia

Ricardo Valadas, Presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal da Polícia Judiciária.

Correio da manhã, 10 de junho de 2018

Exigimos reposição remuneratória dos dez anos de congelamento.

A ASFIC-PJ, no âmbito das suas funções sindicais, há muito que tem encetado diligências junto do Ministério da Justiça, o qual tutela a PJ e junto da Assembleia da República, de forma a sublinhar a imperiosa necessidade de virem a ser descongeladas as progressões horizontais e materializada a reposição remuneratória dos cerca de 10 anos de congelamento dos funcionários da carreira de Investigação Criminal da PJ.

Qualquer organização assente numa estrutura hierarquizada, com a especificidade da missão da PJ, terá de ter presente que a sua alma mater, reside naqueles que constituem o seu capital social, no caso da PJ, os que arriscam diariamente as suas vidas e impedem que outras tantas vidas inocentes sejam, ceifadas, constrangidas ou lesadas no seu património.

Os funcionários de Investigação Criminal vêem como imperativa a materialização da reposição remuneratória dos cerca de 10 anos de congelamento dos funcionários da carreira de Investigação Criminal da PJ, sendo tal, o padrão compensatório mínimo para quem tanto dá ao país. Não se apagam anos de vida e a PJ é das poucas - senão a única - carreira do estado que nao possui promoções automáticas.

Não nos consideramos acima de ninguém, mas, qual mito de Atlas, suportar o peso do céu, na perspetiva de um castigo, não é justiça. Num principio igualitário, salvaguarda da democracia portuguesa, se há para um, há para todos.

 

logo asfic/pj