Membro fundador do Conselho Europeu dos Sindicatos de Polícia

20 de janeiro de 2019

Passa hoje mais 1 ano sobre aquela tarde feia e fria de 25 de Janeiro de 2001 em que o Inspector João Melo foi cobardemente assassinado a tiros de Kalashnikov, disparados por bandidos que emboscaram a equipa da PJ que os perseguia.

O Inspector João Melo, tinha 29 anos. Era um Homem bom, um investigador íntegro, competente e corajoso que sacrificou a vida ao serviço daquilo em que acreditava - a Justiça.

O melhor tributo que se pode prestar à memória dos Inspector João Melo e, também, dos Inspectores Jorge Carvalho e Álvaro Militão assassinados pelos terroristas das BR/PRP e FP 25 Abril - organizações terroristas cuja existência e crimes alguns “bem pensantes” pretendem apagar da história - e a todos os que caíram em serviço será, num momento particularmente delicado da Policia Judiciária, sermos dignos da sua memória, da história da PJ e fazer uma reflexão séria sobre os caminhos para onde pretendem empurrá-la.

Não esqueceremos…!

(Teófilo Santiago)

 

logo asfic/pj