Comunicação Social

Ricardo Valadas, Presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal da Polícia Judiciária.

Correio da manhã, 25 de junho de 2018

Políticos têm de dizer que estratégia se pretende para a PJ.

Organizações como a Polícia Judiciária (PJ) obedecem a um premissa nuclear, sob pena de colapsarem a médio e longo prazo: a passagem de conhecimento e sabedoria a “artífices” mais novos, no caso em concreto, a novos Inspetores de Investigação Criminal.

Não havendo novas gerações, ou havendo-as de forma extemporânea, é quase como, a título de exemplo, os avós serem pais dos seus netos, devido à inexistência material dos próprios filhos, ou seja, um paradoxo geracional.

Neste momento, a diferença de idades média entre Investigadores Criminais da PJ em exercício e as novas gerações de futuros Inspetores, são de décadas (sim, no plural), e isso, para além de incompreensível, materializa-se na interrupção de uma passagem profícua e atempada de conhecimento e saber, e do comprometimento da capacidade operacional da PJ, com responsabilidades para áreas como o Contra-Terrorismo, a Contra-Espionagem, a Criminalidade Económico-Financeira (p.e. a Corrupção), a Criminalidade Organizada Violenta e Complexa (incluindo a transnacional), a Cibercriminalidade e por ai adiante. Ou seja, sendo só perigoso para os níveis desejados de Segurança e Justiça em Portugal.
Não somos profissionais com os quais os nossos cidadãos lidem regularmente no dia-a-dia, pois assim o exige a discrição do nosso ofício, mas muito do que já foi resolvido, antecipado e neutralizado pela PJ (com factos passiveis de serem comprováveis), reforçou e manteve o modus vivendi da nossa sociedade.

A PJ precisa de mais cidadãos para a carreira de IC, bem como, lhe seja respondida, por todos os intervenientes políticos, o que é que se pretende efetivamente, da PJ (a curto, médio e longo prazo), ou seja, que estratégia se entende concretizar para servir os superiores interesses do nosso país, para uma PJ voltada para as novas realidades.

logo asfic/pj