Comunicação Social

Ricardo Valadas, Presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal da Polícia Judiciária.

Correio da manhã, 23 de setembro de 2018

O OE para 2019 terá em linha de conta o caos na PJ, em risco de ser destruída

Iniciou-se no passado dia 17 de Setembro, um curso de Inspetores da PJ.

Decorreram entretanto, cerca de 5 anos desde a abertura do concurso até à entrada dos novos alunos, que não irão colmatar as necessidades, sendo apenas um “balão de oxigénio”(tendo em conta a falta de investigadores e a média de idades na PJ de 49 anos), elevando-se no horizonte um prelúdio negro e sem precedentes para a PJ, bem como, para a segurança e Justiça no País e dos Portugueses.

Mas os problemas não se ficam pela falta de Inspetores.

A inexistência de uma reforma significativa nos Estatutos dos Inspetores e na Lei Orgânica da PJ – desfasada em 20 anos – transforma literalmente a organização em qualquer outra coisa que não a PJ que sempre se conheceu.

O OE para 2019 terá seguramente em linha de conta o caos que se aproxima da PJ, sob pena de o Governo ter de explicar ao País o porquê de a PJ ter sido deliberadamente destruída e com que propósito.

A bem do País, os Investigadores não aceitarão outro OE que não resolva os problemas da PJ e das suas carreiras.

Doravante, a responsabilidade e o reconhecimento será exclusivamente político: de quem fez ou nada quis fazer.

 

 

logo asfic/pj