Comunicação Social

11 de novembro de 2018

"Pior que está não fica". Este lema foi utilizado por um comediante numa célebre campanha política, em que viria a ser eleito.

Esta semana a ASFIC/PJ, reuniu em todas as direções regionais, com o intuito de discutir o atual estado da Polícia Judiciária e das suas carreiras. Foi unânime. A PJ chegou ao ponto da aflição e do desespero de quem nela trabalha.

Para além de estarem a ser preparadas estratégias totalmente distintas das que foram implementadas até hoje, foi ainda analisado o que pretende este Governo para o combate à corrupção, para a proteção das pessoas ao fenómeno terrorista e para a investigação da criminalidade organizada e grave.

Deixo umas perguntas para a população em geral e que votará nas próximas eleições: O que acham que acontecerá ao país com uma Polícia Judiciária incapaz de investigar e com pessoas que já não conseguem investigar?

O que acontecerá aos corruptos deste país, aos homicidas, aos violadores, aos milhões de euros que a PJ recupera e que permite pagar educação, saúde e até PPP´s?

Homicidas tranquilos e em liberdade, porque não há dinheiro para comprar reagentes necessários à comparação de ADN e inexistência de capacidade de resposta das pericias são apenas dois exemplos.

“Pior que está não fica”. Este lema foi utilizado por um comediante numa célebre campanha política, em que viria a ser eleito.

Lamentamos meus senhores. Vai mesmo ficar pior.

 

logo asfic/pj