Desordens conceptuais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Atribuímos esta mensagem às manifestas desordens de um juiz.

A Filosofia da Linguagem é o ramo da filosofia que investiga as relações entre mundo, pensamento e linguagem. A linguagem é entendida como área fundamental de investigação filosófica, partindo do princípio que é pela investigação do significado e sentido das palavras que se compreendem os contextos. Históricos, sociais e culturais.

O movimento filosófico denominado Filosofia da Linguagem Comum tem como matriz metodológica a ideia de que os problemas filosóficos resultam de desordens conceptuais. Uma subcorrente filosófica que atribui à linguagem um importante papel na resolução de problemas filosóficos.

Tenta compreender se é o sujeito que determina a linguagem ou o seu contrário, e se os pensamentos que tentamos transmitir são ou não distorcidos pela linguagem do grupo em que vivemos. Uma corrente que defende que os limites da nossa linguagem são também os limites do nosso pensamento.

Sem qualquer pretensão académica, atribuímos esta mensagem às manifestas desordens conceptuais de um juiz que, como tal, ilegitimamente, se arroga dizer publicamente “estar acima” de um polícia que, tão-somente, constitucionalmente, está a exercer a autoridade legítima.