Educação para o risco

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Formação cívica que importa desenvolver nas crianças e jovens.

Nada mais oportuno em contexto de pandemia do que falarmos sobre o risco. O risco faz parte da vida, desde que nascemos. O risco natural e o risco sociológico. Daí a importância da educação para o risco, que faz parte aliás do enquadramento curricular da Educação em Portugal em matéria de cidadania.

É uma componente da formação cívica que importa desenvolver nas crianças e jovens desde os primeiros anos de vida. Tais práticas educativas, onde a família e a escola têm papel fundamental, visam incrementar pessoal e socialmente comportamentos de segurança, de prevenção e de gestão adequada do risco. É importantíssimo ter esta consciência e cultura desde a base.

Vivemos numa sociedade repleta de riscos, por ação humana ou por causas naturais. A gestão do risco passa por saber identificar os riscos e adquirir hábitos de segurança, incentivando a busca de soluções adequadas. O risco é uma contingência da ação humana, mas que importa prever e solucionar. Assim como o risco da ação policial, cujas probabilidades, condicionalismos e circunstâncias exigem-se conhecer, analisar, avaliar, prevenir, antecipar, acautelar e solucionar. Com inteligência e segurança.