14

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Beneficiários da ADSE descontam mais dois meses do que os meses de vida.

A pedido da Assembleia da República, o Tribunal de Contas (TC) realizou uma auditoria à ADSE, tendo por objeto o seguimento das recomendações formuladas em 2015 e 2016.

Concluiu que a ADSE é viável, desde que os atuais responsáveis pela sua continuidade, o Conselho Diretivo da ADSE, IP e os Ministérios das Finanças e da Saúde, adotem medidas que garantam a manutenção da atratividade do plano de coberturas, não exclusivamente através da diminuição de despesas.

Acrescenta ainda que, decorridos quatro anos, verificou-se que as recomendações do TC que visavam a sustentabilidade da ADSE não foram implementadas. Das várias recomendações que reitera como não acolhidas, o TC reforça a necessidade de os responsáveis políticos diligenciarem para que a cobrança do desconto mensal se reporte aos 12 meses do ano em que os beneficiários utilizam a ADSE, e não a 14 meses, como acontece.

Pois é, caro leitor… parece mentira, mas não é! Os beneficiários da ADSE descontam mais dois meses por doença do que os meses de vida que o ano lhes dá! Em vez de 12, pagam 14! Quer dizer que podem estar doentes 14 meses por ano! Milagre ou infortúnio? Nada disso. Apenas estúpido e insensato!